30 setembro 2015

Pequena Carta à "Dilma Bolada" ou Jeferson Monteiro




Quando o humor perde a graça e cai na falta dela: a des/graça.

Pequeno Jeferson, não precisa se dar tanto valor. Nenhum de nós temos este valor todo que você se atribui. Se a gente quer romper com a Presidenta não precisa tornar isto público.  Publicar o rompimento e fazer disto matéria de mídia é apenas ego, puta vaidade de ego. Você, eu, somos nada, ou muito pouco. Não temos este valor que você pensa ter. Daqui há meses ninguém sequer vai s e lembrar de você, e ela continuará Presidenta.  Dar uma de menino emburrado ou magoado é bobice, amadorismo, primarismo político, a  menos que esteja querendo pedir perdão à Direita com este gesto público.

Seu comportamento é vaidoso, pequeno burguês e bobo. Demonstra como político e como humorista um amadorismo exemplar. Está magoado com a “amiga”? Tenha dignidade: saia de baixo. Saia de cena sem piar. Afaste-se. Se não mais a apoia, cale-se, porque se a condena está fazendo o jogo dos seus inimigos mais fortes: a Direita. Não se esqueça que ainda ontem comias da mão dela. A ingratidão fica registrada.

Querendo seu ego de reizinho ou não, ela ainda é a Presidenta democraticamente eleita pelo povo, e você de bastidores da política é leigo, como eu,  apenas um cometa que riscou o céu no momento que a estrela brilhava. Você e eu.

Também não curto a Dilma desde o primeira  dia do primeiro mandato dela quando ela foi almoçar com a Folha e deu uma banana para nós internautas. Da ingratidão dela também não me esqueço, mas a política e o Brasil são maiores. E ela ainda é o que há de melhor neste momento nos Poderes da República.

Agora que você enterrou a meteórica “Dilma Bolada” você está livre pra outro papel, quem sabe até de Marina Embolada, ou Marta Enrolada, mas não morda  a mão que lhe afagou.
Saia em silêncio. Neste momento você só tem importância para você mesmo, e para que eu me compadeça.(Compaixão: participação espiritual na infelicidade alheia que suscita um impulso altruísta de ternura para com o sofredor).

Um velho amigo me dizia que às vezes  a gente tem um ato de um minuto de heroísmo e depois a vida inteira pra se arrepender.


Um abraço do veterano humorista, criador, cidadão, e militante que repete aqui o verso de Thiago de Mello: “Faz escuro mas eu canto...”

28 comentários:

  1. Bemvindo menino, sou sua eterna fã. Que lição. Que caráter. Se o Jefferson tivesse um tiquinho da sua sensatez ele realmente faria falta na rede. Mas o EGO sempre ofusca o talento.
    Parabéns, me senti contemplada em seu texto.
    Te lovo!!
    KatytaSV

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente arrasou.Tb acho isso,se houve "traição,ou ingratidõ" foi da parte dele.Mas como disse daqui 1 mês ou menos ninguém lembrará desse cidadão..ou poderá vir a candidato servindo de escada para a oposição...De minha parte jamais terá ibope.Bjs meu kerido Benvindo Sequeira

    ResponderExcluir
  3. carlos antonio silva30 de setembro de 2015 23:16

    Parabéns Bemvindo,isso é mais que uma carta, é uma lição de cidadania!

    ResponderExcluir
  4. Bemvindo Sequeira definiu bem quem e esse oportunista jeferson momteiro.

    ResponderExcluir
  5. Meus Parabéns pela análise! Análise direta e profícua! Abraço

    ResponderExcluir
  6. Ou dependendo da grana pode ser até o Aecio cheirado

    ResponderExcluir
  7. tu é foda... adorei.. a do Rei.

    ResponderExcluir
  8. Texto perfeito. O garoto se acha o maioral, mas pra mim mostrou que não passa de um arrogante mal agradecido.
    Se não queriam continuar com o personagem era só ter parado e pronto. Agora ficar falando mal da Dilma foi golpe baixo.
    Logo, logo veremos as reais intenções por trás dessa manobra...

    ResponderExcluir
  9. Benvindo...ma que bello!!! não poderia eu fazermelhor...

    ResponderExcluir
  10. Bem você, Bemvindo querido. Texto humilde, aberto, redondinho. Tomar um 'sacode' desses de um patrimônio do humorismo e da militância, como você, pode até ajudar o carinha a despertar de sua egotrip...

    ResponderExcluir
  11. Bem isso! Também não curto a Dilma que resolveu entregar-se de qualquer forma ao PMDB pagando qualquer preço para se manter a qualquer custo na cadeira, como se Cunha tivesse o poder de remove-la da cadeira onde a colocamos. Da Dilma que não confia no povo que a elegeu e que prefere fazer acordos espúrios... Não, não gosto. Mas me calo. Porque nada sou.

    ResponderExcluir
  12. Da ingratidão dela também não me esqueço, mas a política e o Brasil são maiores. E ela ainda é o que há de melhor neste momento nos Poderes da República.
    Li em algum lugar mais ou menos assim: É preciso chegar ao CAOS, AO ESCURO TOTAL PARA VISLUMBRAR A LUZ NO FINAL DO TÚNEL.
    Estou sentindo isso pelo momento político ao qual estamos passando.

    ResponderExcluir
  13. Muito bem falado. Aos astros o infinito, aos boçais o desprezo.

    ResponderExcluir
  14. Simplesmente perfeito,como sempre,Bemvindo! Num momento em que pipocam oportunistas para todo lado neste país, tentando compensar a própria falta de talento ou a inconformação com a decadência,uma opinião sincera faz falta....

    ResponderExcluir
  15. Estou maravihada. Não havia lido essa Pequena carta ao bofe. Você disse tudo, Bemvindo. Sou grata por dar voz aos meus sentires e pensares a respeito do tema.
    Perfeito! Sem tirar nem por sequer uma vírgula eu assino embaixo.
    Humor Bemvindo, na real.
    Você me representa, sempre me representou. Sou admiradora de seu talento e mais ainda de seu posicionamento cidadão. Grande abraço de sua fã, Carmen.

    ResponderExcluir
  16. Grande Otelo. Libriano. Só podia...Que ator!!!

    ResponderExcluir
  17. pegue o seu banquinho e sai de fininho

    ResponderExcluir
  18. Ótimo texto sobre o assunto ! o melhor e definitivo.

    ResponderExcluir
  19. você deia sim traços de um grande astro .O rapazola nem tem nome .começou com /dilma Bolada e aí vai ficar á moda de Harry Potter

    ResponderExcluir
  20. Espetacular Bemvindo! Tomara que esse bosta leia e aprenda alguma coisa! Parabéns!!

    ResponderExcluir

Deixe um comentário.