02 dezembro 2016

Fogo no Puteiro




O Pais está a Casa da Mãe Joana, a depressão atinge não só a esquerda , mas também setores da Direita. O caos instalado. Briga entre Judiciário e Congresso, entre juízes do Supremo, entre membros do Governo Federal, Deputados votando anistia para seus crimes, Senadores querendo fugir dos crimes e condenando juízes,  desemprego aumentando, PIB caindo cada vez mais, os estados falidos, a insegurança pública crescendo, a violência policial, o Estado de exceção, aviões caindo, times morrendo, Janaína enlouquecendo ainda mais  e Bicudo condenando o Temer que ele mesmo  pôs lá, MInistros caindo um após o outro,  Dalagnol dizendo que Dilma fez mais pelo combate à corrupção, promotores ameaçando renunciar se a Lei não agradar a eles, o PT uma torre de Babel, a carestia aumentando,a Bolsa despencando, o dólar subindo, os salários aviltados, a corrupção campeia em todos os níveis ainda, e muito , muito mais horrores neste omento do Brasil.
Como não ficar deprimido? Como manter a autoestima e o bom humor? Só com uma certa, e grande, dose de loucura e indiferença.

22 novembro 2016

Como Está Sendo a Temporada de Comédias no Rio Este Ano



Estamos chegando ao fim do ano. Assisti a dezenas de comédias durante o ano. Umas me agradaram, outra não. Mas há uma característica que é comum a quase todas: a falta de unidade.

Eu explico: há comedias onde atores estão ótimos, mas a direção é frasca e os atores se viram para dar o melhor de si. Há comédias que são o contrário: excelente projeto de direção e os atores não o cumprem. Há comédias em que o texto é menor que o talento dos atores, e há comédias em que o talento dos atores é menor que o texto. Há comédias em que figurinos, cenários e trilha são bons, e direção e elenco não chegam aos pés.

Enfim, o que quero flagrar é que com raras exceções há um senso quase esquizofrênico nas montagens cômicas este ano de 2016.

Quase não se consegue o todo harmonioso que torna uma comédia uma obra inspirada.
Mas;... o ano ainda não acabou e há muitas comédias ainda pela frente,
Divirta-mo-nos.

20 novembro 2016

Insegurança e Preconceito

                        Ah, Cidade da Bahia, do alto do Elevador o preconceito te contempla


Minha mulher estava em Salvador, entrou numa lanchonete com nossos dois netos. Em seguida entraram dois jovens adolescentes e sentaram-se em outra mesa. Vale dizer que eram negros.
Imediatamente, o segurança, também negro, veio retirar os dois jovens da lanchonete.
Eles não haviam sequer feito um pedido.
Minha mulher questionou o segurança:

- Porque o senhor está fazendo isso? Porque está tirando eles daqui?
- Porque eles entram aqui e podem roubar as pessoas.
- Mas eles não roubaram ninguém, não fizeram nada, apenas sentaram...eles têm direito de entrar aqui, o senhor não pode fazer isso. Como o senhor pode dizer que são criminosos?
- Eles são todos iguais. Disse o segurança.

Um dos jovens, constrangido, abriu sua mochila e mostrava ao segurança:
- Olha aqui moço, não tem nada roubado aqui. É tudo meu, coisas da escola, coisas pessoais.

Não adiantou. As pessoas nas outras mesas faziam de conta que os dois jovens eram invisíveis e que aquela cena não estava ocorrendo.
A violência do silêncio e da omissão delas é tão forte, ou mais até, que um furto de um pivete de rua.
Minha mulher rendeu-se àquela cena de violência para evitar que ela própria entrasse em conflito de violência maior com o segurança da lanchonete.
Os jovens foram retirados da lanchonete. Não sabemos até hoje se eles queriam apenas tomar um sorvete, ou descansar um pouco sentados ali.
Não roubaram ninguém, não agrediram, não foram violentos. Ao contrário: sofreram a violência diária destinada aos que “são todos iguais”.

27 outubro 2016

Eleição é Igual Escola de Samba, Ganha-se No erro do Outro




Neste domingo o Rio de Janeiro vai votar no segundo turno para Prefeito, a menos que algo muito negativo e escandaloso aconteça pelos lados da candidatura de Marcelo Crivella tudo indica que  ele já será eleito Prefeito do Rio de Janeiro.
O que para muitos seria uma contradição já que o Rio, cidade leviana,  diversa e informal elegeria um rígido religioso,  no dizer de alguns,  para comandar os destinos da urbis.
A meu ver contribui e muito para uma possível  vitória de Crivella não apenas os 33 % do eleitorado evangélico da Cidade. Em outras ocasiões eleitorais já haviam os 33 por cento e Crivella foi derrotado.
Então qual a  causa de sua hegemonia neste momento?
O erra do adversário.
Quando julgamos Escolas de Samba – e fui julgador por 14 anos – aprendemos que todas as Escolas entram na Avenida com a nota máxima: 10, e vão perdendo pontos no decorrer do desfile devidos a seus erros. Ganha não a melhor, a que mais empolga, mas a que cometeu menos erros.
A meu ver o grande erro do PSOL no Rio de Janeiro foi o purismo; foi evitar a política de alianças. Repudiou até mesmo correntes co-irmãs como o PT, o PCdoB, Lula e Dilma. E se não repudiou abertamente siglas  e pessoas, tratou com descortesia e indiferença o apoio que recebia destas correntes. Apoios e busca de alianças com o Centro político, menos ainda.
Enquanto Crivella diz que todo voto é bem recebido, Freixo seleciona os eleitores.
Com pouca prenetração nas Zonas Norte e Oeste da cidade, onde reside a maioria da população de baixa renda, receberá os votos da Zona Sul – de maior poder aquisitivo -  e de micro regiões isoladas. De quebra, pra complicar ainda mais sua situação acabou recebendo indiretamente o apoio da Veja e da Globo, quando o povo do Rio apendeu com  Brizola: para onde for a Rede Globo, vá para o outro lado,
Ninguém ganha Eleição no Brasil sem um amplo leque de Centro Esquerda. A própria Frente ampla do Uruguai mantém-se há anos no poder com este tipo de aliança.
Lamentavelmente para o eleitorado de esquerda o PSOL entrou na Avenida perdendo pontos num dos quesitos mais importantes:  Conjunto.

Darcy Ribeiro Sobre a Elite Brasileira

16 outubro 2016

As grosserias na minha rede social



Recebo na minha fanpage centenas de comentários grosseiros, ofensivos, por minha postura de esquerda. Creio que o senador Cristovinho, ou Bob Freire,  recebam até mais quantidade que eu, por serem  de direita e golpistas. Creio que a turma da Direita recebe muitas e muitas mais ofensas, indignações etc. etc.. 
Este ódio sempre esteve presente. Não o víamos porque não  havia as redes sociais.
Mas o que eu quero dizer é que não adianta nada xingar alguém pelas redes sociais. Principalmente políticos.
Pra dizer a verdade nada adianta. Só a economia, o movimento de massas gigantesco ou as armas.  
O resto é festa, briga de maricota e diversão de fesdtivos ,ilitantes, tanto à esquerda quanto à direita.

15 outubro 2016

Vamos Prender Lula



É uma angustia, toda hora essa coisa de prende, não prende. Não sei o que Lula está esperando. Se manda desse País e vai ao Mundo denunciar este golpe. Senão a gente 0 prende "antes que algum
aventureiro o  faça". rsrsrsr