12 outubro 2011

SOBRE A MARCHA CONTRA CORRUPÇÃO

A luta contra a corrupção é obrigação diária de todo e qualquer cidadão. Não se trata de uma coisa pontual onde se escolha apenas um dia por ano para combate-la.

É luta renhida, lembrando poeta.
Começa por nós mesmos, pelas nossas pequenas corrupções diárias, como furar filas... aceitar ser corruptor de guardas de trânsito... aceitar flanelinhas com suas extorsões... tentar subornar  funcionários públicos...etc. etc..

Se nossa alma estiver limpa, aí sim podemos apontar o dedo contra o pecador, e até mesmo atirar a primeira pedra.

Portanto começa por cada cidadão, em seu foro íntimo.

Compreendo a indignidade  a sinceridade de intenções, sobretudo da classe média brasileira contra a corrupção. As camadas mais populares já não se ligam tanto: já tem as filhas prostituídas...os filhos corrompidos pelo tráfico e pelas drogas...a corrupção da sua força de trabalho...a corrupção do Estado nas suas condições de moradia e transporte...enfim: já conhecem demais a hipocrisia das classes mais altas quando se trata de combater a corrupção.

Mas a classe média, sobretudo jovens idealistas e emocionados, se indignam, e com razão.

Também minúsculos partidos - que por pouca representatividade podem ser puristas - pegam carona para ampliar seus votos. Grandes abutres, disfarçados sob bela plumagem tucana também aproveitam-se da carniça corrompida.

Caminhem sim, por todo esta Brasil. Levantem uma onda permanente de indignação, generalizada. E mantenham esta luta. Só os corruptores podem teme-la.

Tem todo o meu apoio, desde que por trás disto não haja a manobra de uma Direita golpista, de uma imprensa comprometida, armando para desestabilizar, destruir, corromper as vitórias e conquistas do povo brasileiro na última década.

Ainda é muito dolorosa na minha memória a "Marcha com Deus pela Família e Pela Liberdade". De golpes da Direita estou escaldado para o resto da vida.

Em suma: luta contra a corrupção, sim. Preparação de golpes ou manobra eleitoreira usando a boa fé dos cidadãos, não.

Boa sorte aos marchadores.

Que sobretudo os jovens que participam destas marcham cresçam cada vez mais em cidadania e consciência social.


6 comentários:

  1. Benvindo, querido, adoro sua atuação política, ideológica, além do seu humor.
    Mas queria lhe dizer que falar que as camadas pobres já tem suas filhas prostituídas e seus filhos no tráfico é pegar muito pesado, é generalização que não cabe, como se os pobres não tivessem dignidade, não fizessem escolhas.
    um beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá Bemvindo, até o Windows saúda a você quando ligado.....rsrsrs
    Mas o que quero dizer é que em verdade acredito serem tais marchas atos de uma direita golpista, tão bem conhecida dos brasileiros mais politizados. Reforço seu desejo de que os jovens cresçam em cidadania e consciência social, mas também acredito estarem sendo "massa de manobra", mais uma vez!!! Lembro-me dos "caras-pintadas".

    ResponderExcluir
  3. Não Lucila, o comentario não esta generalizando, esta apenas tratando que as camadas mais pobres por serem os mais pobres estão mais proximos a este tipo de conduta, a elite nos tacha assim como os mais faceis de se corromper pela conviniência, por trabalho e pelo o VOTO , eles não marcham por dias melhores e talvez nem se preocupe
    m com isso

    ResponderExcluir
  4. Caro Bemvindo,

    Muito clara sua análise sobre a corrupção.

    A direita golpista, com a sua grande aliada, a também imprensa golpista, além de não terem que se apropriar de um movimento legítimo, tentando passar aos incautos que a corrupção é fato novo, não deveria esquecer que o discurso de Jânio Quadros, em sua campanha à presidência da República, em 1960, já tinha como carro chefe o combate a corrupção. Não esqueço o último comício de Jânio, encerrado com a promessa de acabar com a corrupção, é inesquecível. O slogan da campanha de Jânio era: "Varre, varre vassourinha / varre, varre a bandalheira / que o povo já está cansado / de sofrer desta maneira / (...)

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. É isso. A luta contra a corrupção não é luta, a indignação é falsa, se não começar nas atitudes do lutador e do indignado. Os políticos corruptos que estão aí? Eu, eu os coloquei lá. O judiciário leniente? São reflexo das classes sociais a que pertencem. Nada mais justo que comunguem com os ideários de suas classes sociais. E mais uma vez, eu, eu permito esse estado de coisas. A luta contra a corrupção deve começar comigo. Atenção, eu sou responsável pela corrupção. Pode ser que não sozinho, mas estou lá com minha cota de responsabilidade.

    ResponderExcluir
  6. Daniel Alcantara (Tenente)15 de outubro de 2011 20:23

    Excelente texto!

    ResponderExcluir

Deixe um comentário.