25 dezembro 2011

BRUXOS DÃO PRESENTES A JESUS


“Reis Magos.”


Dito assim, "Reis Magos", neste quase eufemismo tucano, passa-se por cima de um significativo momento do advento de Jesus, o Cristo.

Reis Magos, ou sejam: Reis da Magia, Reis do Feitiço, Feiticeiros, Bruxos ou até Macumbeiros mesmo.
Vieram do Oriente, das mais esotéricas terras da época para renderem-se ao Poder do Menino.

Vieram testemunhar quão mais poderosa era aquela criança deitada na manjedoura.
Vieram. E trouxeram valiosos presentes, pois  - á fora  o ouro, valiosíssimo -  o  incenso e a mirra eram também de muito valor à época.

Não pensemos que um deles:  Balthazar, Belchior, ou Gaspar, ajoelhou-se e entregou á Sagrada Família uma correntinha de ouro de R$ 150,00 , dessas de leilão da TV.
Ninguém viaja em caravana pelo Oriente Médio para levar presentinhos.

Foi muito ouro, muita mirra e muito incenso depositados aos pés do Salvador.
O suficiente para financiar a fuga para o Egito... para financiar os primeiros anos  de reconstrução da vida do casal paterno.

Destes presentes ofertados nasce a tradição de presentearmos no Natal.
Repetimos o gesto que os Reis da Magia fizeram há dois mil anos.
Relembramos com isso a nossa reverência ao próximo a quem amamos e devemos amar, desde nossos familiares e amigos até os presentes dados em atos de caridade pública.

Relembrando portanto: o ato de dar presentes nasce de um ato de reverência, rendição, respeito e solidariedade de três-  ou mais-  não-cristãos. 
Os primeiros a reconhecer a divindade advinda e anunciada por uma estrela no céu.

Nasce destes mouros, afros...e não desta esdrúxula figura finlandesa, trazida da Lapônia,  Polo Norte, vestido de vermelho e branco do Salgueiro,  e patrocinada pela Coca- Cola.

3 comentários:

  1. "O suficiente para financiar a fuga para o Egito... para financiar os primeiros anos de reconstrução da vida do casal paterno."
    Adorei essa constatação, pois nunca tinha pensado sobre isso! bem, feliz natal!

    ResponderExcluir
  2. E tem mais: os Bruxos visitaram uma família em uma estrebaria. Naquele momento, Jesus e os seus eram sem-teto. E, convém sempre lembrar que eram galileus, um povo não muito estimado pelo "establishment" judaico da época. Um galileu, guardadas as proporções, seria o que hoje é representado por nordestinos. A suposta descendência de David foi algo acrescentado posteriormente, quando o nascente cristianismo sentia necessidade de se auto-afirmar. Pouca coisa mudo, desde então. Não importa. O que fica é que os Bruxos visitaram uma família de sem-teto nordestinos, debaixo de um viaduto. Podem me chamar de herege...

    ResponderExcluir
  3. Daniel Alcantara (Tenente)26 de dezembro de 2011 17:20

    Mais uma vez, texto maravilhoso.
    Sempre aprendo ou percebo algo que não havia percebido antes com os seus textos.

    ResponderExcluir

Deixe um comentário.